Em Português  In English
Capacete MK1V britânico
Página PrincipalIntrodução da Segunda Guerra MundialHolocausto na Segunda Guerra MundialBiografias da Segunda Guerra MundialEventos da Segunda Guerra MundialArmamento da Segunda Guerra MundialMultimédia da Segunda Guerra Mundial

Cocktail Molotov

// Informação sobre os cocktails Molotov usados na guerra.

A arma mais tarde conhecida por Cocktail Molotov parece ter surgido durante a Guerra Civil Espanhola de 1936-39 quando foi usada pela primeira vez contra os tanques Nacionalistas pelas forças Republicanas. A partir daqui, esta arma passou a ser usada por praticamente todas as nações por ser uma arma fácil de produzir e usar, por forças tanto regulares como irregulares.

Durante a Guerra de Inverno (1939-40), o mal equipado e bastante reduzido Exército Finlandês enfrentou o poderoso Exército Vermelho após a recusa dos finlandeses em entregar algumas terras à União Soviética. Então, usaram o engenho incendiário improvisado contra os tanques soviéticos.

É durante este conflito que o nome deste engenho surge. Foi derivado ao político soviético Vyacheslav Mikhailovich Molotov devido à sua transmissão rádio onde disse que a União Soviética não estava a lançar bombas mas sim a entregar comida aos finlandeses esfomeados. Como resposta, os finlandeses chamaram às bombas incendiárias cesta de piquenique de Molotov, mais tarde baptizadas de Cocktail Molotov. No início o termo era usado para descrever apenas a própria mistura inflamável, mas com o tempo o termo começou a ser aplicado à combinação de tanto a garrafa como o seu conteúdo.

O Cocktail Molotov foi usado na Guerra de Inverno, depois na Guerra da Continuação (finlandeses contra soviéticos) e usada por ambos os lados na Segunda Guerra Mundial, principalmente devido à sua qualidade de degradar a moral do inimigo. Por exemplo, durante a Revolta do Gueto de Varsóvia em 1943 o Cocktail Molotov foi usado contra as tropas nazis:
As garrafas bem apontadas atingem o tanque. As chamas espalham-se rapidamente. O barulho da explosão ouve-se. A máquina permanece amovível. A tripulação é queimada viva. Os outros dois tanques dão a volta e retiram-se. Os alemães que cobriam a retaguarda retiram-se em pânico. Nós vemo-nos livres deles com alguns tiros e granadas bem apontadas.


 
A arma básica é simplesmente uma garrafa de vidro contendo petróleo (ou uma outra substância inflamável) com um trapo embebido em óleo ou algo similar à volta do gargalo. Este trapo é incendiado imediatamente antes da arma ser lançada sobre o alvo, quebrando a garrafa ao atingir o alvo o que permite que o seu conteúdo seja incendiado.

A principal maneira de assegurar os estragos é detonar a bomba-garrafa sobre ou perto das ripas do motor ou talvez nos aparelhos de visão. Também foi descoberto na altura que apenas petróleo não era uma arma anti-armadura muito eficiente uma vez que escorria pelos lados do tanque mesmo quando a arder. Para tornar a mistura inflamável mais aderente, o petróleo teve de ser misturado com um agende viscoso como o diesel ou óleo ou em certos casos formas várias de látex.

Mais tarde na guerra, os soviéticos prenderam arbustos ou aglomerados de fio para proteger a traseira do tanque, esperando que a garrafa não quebrasse, visto não iria embater na armadura, mas a solução dos finlandeses foi a de atar 2 ou 3 pedras a cordas presas na garrafa para que estas quebrassem o vidro. Também foi usado arame farpado em volta da garrafa para se a garrafa atingisse uma reentrância a proteger a ventilação do tanque, a hipótese de pegar fogo ao motor aumentava.

Existiram vários destes tipos de granada a normal era a Granada Britânica, auto-ignição de fósforo, nº 76. Esta era uma garrafa de leite fechada à pressão (contendo uma mistura de fósforo, água e benzina) e era nomeadamente uma arma anti-tanque. Podia ser atirada sobre o alvo ou lançada de um Projector Northover, e continha uma peça de borracha que se dissolvia gradualmente na mistura para a fazer pegar melhor ao seu alvo. Cada granada nº 76 pesava cerca de 0,535 kg.

Ainda hoje em dia, o cocktail Molotov é uma arma comum para terroristas e para manifestantes.


Fonte:
The Encyclopedia of Weapons of WWII, The Battles of the Winter War, Wikipedia


 » Classif.: 
 »  2,86 (42 votos)

Comentários
Código da Validação:




Código da ValidaçãoRefrescar Código

» Regras de Utilização
[Fechar]
TextoMultimédia da Segunda Guerra MundialLoja
Anterior 1/3 Próxima
Opções
Tamanho da letra » A+ / a- Imprimir » Imprimir
Comentar » Comentar Ver Comentários » Ver Comentários
Newsletter
Loja
  Amazon.com

  ebay.com

Estatísticas

Números do Site:
#Artigos: 187
#Multimédia: 772
#Cronologia: 538
Comentários