Morreu o soldado da Segunda Guerra Mundial japonês, que se recusou a se render durante 29 anos

// Hiroo Onoda, o soldado japonês que permaneceu na selva das Filipinas após o fim da Segunda Guerra Mundial, morreu no passado dia 17 de Janeiro de 2014.


// 
Um soldado japonês que se escondeu na selva e se recusou a entregar até 29 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial morreu no passado 17 de Janeiro com 91 anos.
Hiroo Onada foi um dos últimos de muitos chamados "redutos" espalhados pela Ásia que se recusaram a se entregar após o imperador japonês Hirohito se render aos Aliados em 1945.
O soldado tornou-se um herói de guerra no Japão depois de se ter escondido na ilha filipina de Lubang até Março de 1974. Ele só se entregou depois do seu ex-comandante se deslocar lá e inverter as ordens de 1945, nas quais o havia instruído para espiar as tropas norte-americanas.
Após sua morte, o porta-voz do governo japonês Yoshihide Suga elogiou seu espírito: "Lembro-me nitidamente quando o Sr. Onoda regressou ao Japão. Foi quando eu, pessoalmente, senti que a guerra tinha acabado", disse Suga quando perguntado sobre o falecimento de Onoda.
O Japão tinha várias dezenas de outros homens que ficaram em várias partes da Ásia muito depois da guerra. Outro "reduto"  foi o sargento Shoichi Yokoi que surgiu da floresta em 1972 originando grandes elogios no Japão.
A maioria das tropas japonesas  renderam-se quando as forças norte-americanas desembarcaram em Lubang em Fevereiro de 1945. Depois de saírem, o maior desafio da Onoda foi a sua sobrevivência. Ele roubou arroz e bananas de habitantes e matou as vacas deles para fazer carne seca, de acordo com a Associated Press.
Quando Onoda se entregou com o presidente filipino Ferdinand Marcos, ele usava o seu uniforme imperial completo de 30 anos de idade, com capa e espada, que estavam em boas condições.
Numa entrevista de 1995 à AP, ele disse: "Eu não considero esses 30 anos uma perda de tempo. Sem essa experiência, eu não teria a minha vida hoje".