Em Português  In English
7 de Dezembro de 1941 - Japão declara guerra aos Estados Unidos
Página PrincipalIntrodução da Segunda Guerra MundialHolocausto na Segunda Guerra MundialBiografias da Segunda Guerra MundialEventos da Segunda Guerra MundialArmamento da Segunda Guerra MundialMultimédia da Segunda Guerra Mundial

Alemanha

// Informações sobre a Alemanha antes, durante e depois da guerra.

Depois da derrota alemã em 1918, constituiu-se neste país a República Democrática. Este governo tropeçou com graves dificuldades, devido aos movimentos subversivos e à difícil situação económica (o marco, moeda alemã, perdeu todo o seu valor). A miséria e a fome ocasionaram situações desesperantes entre a classe operária, e nestas circunstâncias, muitos alemães sentiram-se atraídos pelas ideias radicais dos partidos antidemocráticos. Tanto os comunistas como os nacional-socialistas prometem a solução para todos os problemas. É na rua que, cada vez mais, a luta pelas opiniões políticas se efectua. O NSDAP (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) de Adolf Hitler, que prometia às massas a ruptura com o Tratado de Versalhes, uma nação sem desemprego e uma Alemanha engrandecida, ganha esta luta e torna-se o maior partido político representado no parlamento, ao atingir 37% dos votos nas eleições de 1932 (com o apoio de industriais, militares e banqueiros).

A 30 de Janeiro de 1933, o chefe de estado, marechal Hindenburg, nomeou Hitler Chanceler do Reich e, por morte daquele, Hitler proclamou-se Fuhrer-chanceler (chefe ou guia) reunindo na sua pessoa todos os poderes. O nazismo triunfante rompeu com a Sociedade das Nações e levou a cabo o rearmamento e os novos detentores do poder não tardaram a mostrar as suas verdadeiras intenções. As primeiras leis anti-semitas são aprovadas e faz-se uma cruel perseguição aos judeus na Alemanha.

O NSDAP actua não só contra os judeus, mas também contra opositores políticos. Sobretudo os comunistas e os social-democratas são perseguidos e aprisionados em campos de concentração. Determinadas formas de arte, de literatura e de música, também são proibidas. Queimam-se livros em público. Muitos escritores, artistas e cientistas refugiam-se no estrangeiro. A democracia é abolida.

Na Alemanha, o sossego e a ordem retornam, tendo a prosperidade aumentado. Os nazis dão muita atenção à educação da juventude. Há um grande entusiasmo por Hitler e pelo seu partido. Há alguns opositores, mas a maior parte deles mantêm-se em silêncio, com medo da violência e de serem presos. As medidas anti-semitas são aceites sem grandes problemas, encontrando pouca resistência. Em 1935, são instituídas leis marciais na Alemanha. Só os alemães que tenham o chamado sangue alemão são considerados cidadãos de plenos direitos. Surge toda a espécie de medidas destinadas a impedir e a punir o contacto entre judeus e não-judeus.


 

Hitler tem dois grandes objectivos: a criação de um povo alemão superior, de raça pura, e a criação de um Grande Império Alemão, para o qual é necessário conquistar novos territórios. Na óptica nazi, os judeus são, não apenas inferiores, mas também perigosos. Eles imaginam que os judeus têm o poder em todo o mundo e que o seu objectivo é destruir a chamada raça ariana.

Na Alemanha, são crescentes as limitações impostas aos judeus em todos os aspectos da vida. Tudo isto com uma finalidade: isolar a população judia da não-judia. Na noite de 9 para 10 de Dezembro de 1938, os nazis organizam um progrom contra os judeus (177 sinagogas são reduzidas a cinzas, 7.500 lojas são destruídas e 236 judeus são assassinados). Os judeus apercebem-se finalmente do grande perigo que correm, e muitos decidem abandonar a Alemanha. Mas cada vez mais países fecham fronteiras aos refugiados.

A 23 de Agosto de 1939, a Alemanha assina um pacto de não-agressão com a URSS. A 1 de Setembro de 1939, o exército alemão invade a Polónia. Grandes áreas são evacuadas, a fim de que colonos alemães aí se possam instalar. Um grande número de polacos proeminentes é assassinado. Na Europa Ocidental pouco se sabe acerca das atrocidades cometidas na Polónia. Em Maio de 1940, a guerra rebenta também no Ocidente: Holanda, Bélgica e França são igualmente ocupadas pelo exército alemão. Ao contrário do que ocorre com os polacos, os nazis vêem estes povos como irmãos, e não lhes infligem o mesmo tipo de atrocidades. Mas, logo no primeiro ano da ocupação da Holanda, começa o registo dos judeus. As crianças judias são obrigadas a frequentar escolas separadas, apenas para judeus. Por toda a parte nas cidades há cartazes onde se pode ler: Proibido a judeus.

Em todos os países ocupados, uma das primeiras medidas tomadas pelos ocupantes alemães é o registo dos judeus. A etapa seguinte é o seu isolamento. Surgem cada vez mais medidas, e a um ritmo cada vez maior, a fim de isolar os judeus dos não-judeus. As medidas surtem efeito: muitos não-judeus não se atrevem mais a lidar com judeus, e vice-versa. Em Junho de 1941, a Alemanha invade a União Soviética, rompendo, deste modo, o pacto de não-agressão. Em finais de 1941, completa-se o registo e o isolamento dos judeus, tanto na Alemanha como na maioria das áreas ocupadas. Durante a Conferência de Wannsee em Berlim, a 20 de Janeiro de 1942, altos funcionários nazis elaboram os últimos detalhes para a Solução Final para o Problema Judeu (Endelösung der Judenfrage). A intenção é matar todos os onze milhões de judeus europeus. A partir de então, os planos para a deportação e o extermínio serão postos em prática. No decorrer do ano de 1942, começam a deportações para os campos de concentração e de extermínio, a maioria dos quais se situa na Polónia.




 » Classif.: 
 »  2,80 (85 votos)

Comentários
Código da Validação:




Código da ValidaçãoRefrescar Código

» Regras de Utilização
[Fechar]
TextoMultimédia da Segunda Guerra MundialLoja
Opções
Tamanho da letra » A+ / a- Imprimir » Imprimir
Comentar » Comentar Ver Comentários » Ver Comentários
Newsletter
Loja
  Amazon.com

  ebay.com

Estatísticas

Números do Site:
#Artigos: 187
#Multimédia: 772
#Cronologia: 538
Comentários