Em Português  In English
Capacete de médico dos Estados Unidos
Página PrincipalIntrodução da Segunda Guerra MundialHolocausto na Segunda Guerra MundialBiografias da Segunda Guerra MundialEventos da Segunda Guerra MundialArmamento da Segunda Guerra MundialMultimédia da Segunda Guerra Mundial

Renault R35

// O mais numeroso tanque francês da Segunda Guerra Mundial, o R35 (e a sua posterior R40 variante) serviu o exército francês, principalmente, durante a invasão da França pela Alemanha.

Características
Tripulação 2
Peso 10.000Kg
Comprimento 4,20m
Largura 1,85m
Altura 2,37m
Motor 1 motor Renault
de 4 cilindros desenvolvendo 82hp
Velocidade 20km/h (máxima)
Alcance 140km
Armamento 1 canhão de 37mm
1 metralhadora de 7,5mm
O tanque Renault R35, originalmente conhecido como Renault ZM, foi produzido em 1934 em resposta à necessidade para um novo tanque de suporte para a infantaria do Exército Francês. Esse tanque deveria substituir os antigos Renault 17 que datavam da Primeira Guerra Mundial. Os testes iniciaram-se em 1935 e antes que mais testes fossem efectuados, o R35 foi posto em produção já que a Alemanha se mostrava disposta a uma guerra. Antes do início da produção foi efectuada uma pequena mudança: a blindagem do tanque deveria passar de 30mm para 40mm.
 
O R35 nunca substituiu totalmente o R17 mas por volta de 1940 cerca de 1.600 já tinham sido produzidos. Era o tanque mais numeroso no Exército Francês. O R35 era um tanque pequeno para dois tripulantes. A sua blindagem utilizava muita fundição. O motorista ficava posicionado à frente enquanto que o comandante tinha de trabalhar como carregador da arma principal, além de mirá-la e dispará-la. A torre do tanque não dispunha de dispositivos de observação eficazes mas até então o tanque era suficiente.
 

 
Uma nova versão introduzida em 1940, que dispunha de um novo sistema de suspensão, foi chamada de AMX R40. Poucos desta versão tinham sido produzidas quando a Invasão da França começou. O R35 não era oposição para os Panzers. O seu canhão não era capaz de perfurar nem a blindagem dos menores tanques alemães e o modo como ele era empregado em combate, utilizados em poucos números em apoio à infantaria, fazia com que fosse presa fácil para o grande número de Panzers utilizados pelos Alemães. A blindagem de 40mm do R35 era capaz de suportar a maioria das armas antitanques alemãs mas pouco o tanque podia fazer para mudar o curso da campanha. A maioria dos R35 era destruída ou abandonada pelas suas tripulações frente ao desastre que varria o Exército Francês.
 
Muitos R35 caíram intactos em mãos alemãs. Esses foram utilizados em missões na França ou em escolas de treino alemãs. Com o início da Operação Barbarossa, a invasão da União Soviética, muitos R35 foram privados da suas torres e eram utilizados como tratores para artilharia ou utilizados para carregar munições. Mais tarde, o resto dos R35 que ainda se encontravam em França tiveram as suas torres retiradas para servirem como artilharia auto-propulsada ou armas anti-tanque. As torres retiradas foram colocadas como defesa na Muralha do Atlântico.
 
O R35 mostrou ser de maior utilidade aos Alemães do que aos Franceses. Foi um tanque de tradição de combate da Primeira Guerra construído sob o pensamento de que a guerra com tanques havia mudado pouco desde 1918.

Fonte:
Blog de Bruno Ribeiro Oliveira.


 » Classif.: 
 »  3,01 (315 votos)

Comentários
Código da Validação:




Código da ValidaçãoRefrescar Código

» Regras de Utilização
[Fechar]
TextoMultimédia da Segunda Guerra MundialLoja
Anterior 1/9 Próxima
Opções
Tamanho da letra » A+ / a- Imprimir » Imprimir
Comentar » Comentar Ver Comentários » Ver Comentários
Newsletter
Loja
  Amazon.com

  ebay.com

Estatísticas

Números do Site:
#Artigos: 187
#Multimédia: 772
#Cronologia: 538
Comentários