Em Português  In English
Cruz de Cavaleiro de Cruz de Ferro com Folhas Douradas de Carvalho, Espadas e Diamantes
Página PrincipalIntrodução da Segunda Guerra MundialHolocausto na Segunda Guerra MundialBiografias da Segunda Guerra MundialEventos da Segunda Guerra MundialArmamento da Segunda Guerra MundialMultimédia da Segunda Guerra Mundial

Hideki Tojo

1884-1948

// Biografia completa de Hideki Tojo.

Uma revista francesa, L'Illustration, publicou em 1905, a fotografia de um general japonês tirada numa trincheira, aberta nos arredores de Mukden, durante a guerra russo-japonesa. Uma foto que não deixou de surpreender já que nela, e ao contrário do que era a ideia em voga na altura, surgia um militar trajando um uniforme de estilo europeu, fumando e equipado com uns moderníssimos binóculos.

Uma imagem que alertava o mundo para o facto de o Japão dispor de um exército equipado com o mais moderno material e com o qual seria necessário, num futuro mais ou menos próximo contar num eventual conflito. O general Hideki Tojo - o homem que como militar e estadista arrastou o Japão para a Guerra no Pacífico na sequência de Pearl Harbor - é um dos produtos da renovação do exército nipónico.



Adido militar na Alemanha


 

Hideki Tojo nasceu em Tóquio a 30 de Dezembro de 1884, filho de uma família bem instalada na vida. Formou-se na Academia Imperial Militar com o posto de subtenente. Aos 35 anos, em 1919, Tojo é nomeado adido militar da Embaixada do Japão na Alemanha. Um destino que, um ano passado sobre o fim da Primeira Grande Guerra, não era o local mais apropriado para um jovem militar. Mesmo assim, Tojo aprendeu, com o que restava de um exército derrotado e quase desmantelado, muitas lições que lhe serviriam para o futuro. Para o seu e para o do seu país.

Em 1928 é nomeado comandante-chefe do I Regimento de Infantaria que, oito anos mais tarde, tomou parte activa no motim de 26 de Fevereiro. Foi nesses anos conturbados, em que um governo ultraconservador e vincadamente autoritário tentava por todos os meios travar o avanço da esquerda e dos movimentos pré-pacifistas, que Tojo assumiu o papel de primeiro plano e consolidou a sua carreira, tomando parte activa em quase todas as missões de repressão.

No ano seguinte, em 1937, é nomeado comandante do Quartel-General da Polícia e, pouco depois, assume a chefia do Estado Maior do Exército de Kuangtang, província chinesa integrada na Manchúria ocupada pelo Japão no decurso do conflito russo-nipónico de 1904-1905 e abandonada no final da Segunda Grande Guerra.



Presidente do governo

Em Julho de 1940, o príncipe Konoye oferece-lhe a pasta da Guerra no governo por si liderado. Fuminaro Konoye, descendente de uma influente família feudal, era visto no Ocidente como um individuo com ideias expansionistas cujos objectivos eram alcançados à custa da China. Dissolveu os partidos políticos, instituiu aquilo a que chamou de nova ordem para o Este da Ásia.

Faltou-lhe, todavia, um acordo com os Estados Unidos, fracasso que lhe custaria o lugar. A 16 de Outubro de 1941 Konoye é substituído pelo general Tojo na chefia do executivo que, de imediato, chama a si os objectivos da nova ordem e inicia a aproximação aos princípios defendidos pelos países que integram o Eixo. Konoye, que chegou a ocupar a vice-presidência do primeiro governo japonês do pós-Guerra, acabara por suicidar-se ao ser incluido na lista de criminosos de guerra.
 

Anterior 1/3 Próxima
 Veja o texto completo do artigo.



 » Classif.: 
 »  2,48 (40 votos)

Comentários
Código da Validação:




Código da ValidaçãoRefrescar Código

» Regras de Utilização
[Fechar]
TextoMultimédia da Segunda Guerra MundialLoja
Anterior 1/3 Próxima
Opções
Tamanho da letra » A+ / a- Imprimir » Imprimir
Comentar » Comentar Ver Comentários » Ver Comentários
Newsletter
Loja
  Amazon.com

  ebay.com

Estatísticas

Números do Site:
#Artigos: 187
#Multimédia: 772
#Cronologia: 538
Comentários