Em Português  In English
Óculos de aviador e livro registo de vôo
Página PrincipalIntrodução da Segunda Guerra MundialHolocausto na Segunda Guerra MundialBiografias da Segunda Guerra MundialEventos da Segunda Guerra MundialArmamento da Segunda Guerra MundialMultimédia da Segunda Guerra Mundial

Condenados de Nuremberga

// Informações sobre os condenados do Julgamento de Nuremberga.

As acusações foram lidas no dia 20 de Novembro de 1945. Apesar de serem 24 homens acusados, apenas 21 é que foram a julgamento.

  • Robert Ley suicidou-se antes do julgamento começar;
  • Gustav Krupp foi considerado muito frágil para comparecer em tribunal;
  • Martin Bormann estava a monte e foi julgado à revelia (sentenciado à morte).


Cada um dos acusados foi condenado com uma ou mais das seguintes acusações:


 
  1. Conspiração e actos deliberados de agressão;
  2. Crimes contra a paz;
  3. Crimes de guerra
  4. Crimes contra a humanidade.

No dia 1 de Outubro de 1946, o veredicto foi lido: 12 dos acusados foram sentenciados à morte, 3 sentenciados à prisão perpétua, 4 com sentenças de prisão entre os 10 e 20 anos, e 3 foram absolvidos.

 

Acusado Acusações Declaração de defesa Sentença
Hermann Goering
Hermann Goering


Marechal do Reich
1, 2, 3, 4
«Os campos de concentração, as detenções e a repressão não são criações do nazismo mas necessidades políticas. Todas as nossas acções militares tinham por fundamento a necessidade de espaço vital. Compreendo que países que dominam três quartos do Planeta não compreendam, facilmente, esta necessidade alemã.» Sentenciado à Forca

Suicidou-se na noite anterior à execução.
Rudolf Hess
Rudolf Hess


Vice-fuhrer
1, 2
«Não estou louco, a minha cabeça ainda funciona. Quero deixar bem claro que reconheço a minha responsabilidade em todos os actos que pratiquei, autorizei. A minha posição de princípio é de que este Tribunal não tem competência.» Sentenciado à Prisão Perpétua

Foi o último prisioneiro da prisão especial para criminosos de guerra, em Spandau até à sua morte a 17 de August de 1987.
Joachim von Ribbentrop
Joachim von Ribbentrop


Ministro dos Negócios Estrangeiros do Reich
1, 2, 3, 4
«Como ministro dos Negócios Estrangeiros devia seguir as normas ditadas por Hitler. Considero-me inocente em todas as acusações.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Wilhelm Keitel
Wilhelm Keitel


General, chefe do OKW
1, 2, 3, 4
«Defendo-me com a obrigação, comum a qualquer militar, de obediência às ordens dos superiores.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Ernst Kaltenbrunner
Ernst Kaltenbrunner

Chefe do RSHA
3, 4
«A primeira vez que ouvi falar de Auschwitz foi em Novembro de 1943. Disseram-me que se tratava de um campo de internamento. Até Fevereiro ou Março de 1944, Himmler nunca admitiu que naquele 'lager' se procediam a chacinas. Eu deixei bem claro o meu protesto.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Alfred Rosenberg
Alfred Rosenberg

Ministro dos Territórios Ocupados de Leste
1, 2, 3, 4
«Considerava as execuções como um facto comummente aceite em situações de guerra generalizada. O próprio comando da Wermacht, à semelhança dos meios de comunicação, noticiava o fuzilamento de reféns. Não se pode excluir que, de acordo com as normas jurídicas e numa situação de guerra, estes factos possam ser considerados como uma represália lícita.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Hans Frank
Hans Frank

Governador-General da Polónia ocupada
3, 4
«À luz dos actuais debates e depois de ter lançado um último olhar sobre tantos horrores indescritíveis, do mais fundo do meu coração, que levo em mim um profundo sentimento de culpa.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Wilhelm Frick
Wilhelm Frick

Ministro do Interior
2, 3, 4
«Cumpri o meu dever de funcionário do Estado. Se me condenam a mim teriam, então, que condenar milhares de outros funcionários.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Julius Streicher
Julius Streicher

Editor do jornal Der Sturmer
4
«Tenho a consciência de afirmar que, indirectamente, contribuí para a elaboração do projecto das leis de Nuremberga.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Walther Funk
Walther Funk

Ministro da Economia, presidente do Reichsbank
2, 3, 4
«A liquidação económica dos judeus foi obra minha. Nesse momento devia ter apresentado a demissão. Sou culpado, confesso-me culpado!» Sentenciado à Prisão Perpétua

Libertado devido a doença a 16 de Maio de 1957. Morreu em 1960.
Karl Doenitz
Karl Doenitz

Almirante, comandante-chefe da Marinha, 1943-45; Chanceler, 1945
2, 3
«Considero limpa a forma como decorreram as acções de guerra executadas pelos submarinos alemães, acreditando que agi sempre de acordo com a minha consciência enquanto comandante supremo da Marinha e como último chefe de Estado.» Sentenciado a 10 Anos de Prisão

Libertado a 1 de Outubro de 1956 depois de ter cumprido a pena e morreu a 24 de Dezembro de 1980.
Fritz Sauckel
Fritz Sauckel

Plenipotenciário da Colocação de Trabalhadores
2, 4
«Os cinco milhões de trabalhadores deportados para o Reich agiram de sua livre vontade, escolhendo partir para a Alemanha.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Alfred Jodl
Alfred Jodl

Chefe de Operações do OKW
1, 2, 3, 4
«Foi Hitler e não eu quem preparou a agressão contra a URSS.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946. Em 1953, um tribunal alemão considerou Jodl inocente de infringir a lei internacional,
Albert Speer
Albert Speer

Ministro do Armamento e da Produção de Guerra; Arquitecto pessoal de Hitler
3, 4
«De início, via o fuhrer como o único homem capaz de manter a coesão do povo alemão. Foi isso que me levou a segui-lo fielmente.» Sentenciado a 20 Anos de Prisão

Cumpriu a pena. Morreu a 1 de Setembro de 1981.
Konstantin von Neurath
Konstantin von Neurath

Ministro dos Negócios Estrangeiros e Protector do Reich de Boémia e Morávia
1, 2, 3, 4
«Sempre tive medo que, de um momento para o outro, me acontecesse qualquer coisa pelo facto de me manifestar contra Hitler.» Sentenciado a 15 Anos de Prisão

Libertado em 1953 devido a doença e morreu a 14 de Agosto de 1956.
Erich Raeder
Erich Raeder

Comandante Supremo da Kriegsmarine(1928-1943)
2, 3, 4
«Não era possível ir ter com Hitler e apresentar um pedido de demissão. Isso seria considerado como um gesto de insubordinação. Por outro lado, considero-me suficientemente disciplinado para actuar dessa forma.» Sentenciado à Prisão Perpétua

Libertado em 1953 devido a doença a a 26 de Setembro de 1955. Morreu a 6 de Novembro de 1960.
Balder von Schirach Balder von Schirach

Chefe da Hitlerjugend
4
«Foi a mais monstruosa e satânica chacina da história do Mundo.» Sentenciado a 20 Anos de Prisão

Cumpriu a pena. Morreu a 8 de Agosto de 1974.
Franz von Papen
Franz von Papen

Embaixador da Turquia
-
«O meu dever de patriota, por penosa que essa situação se revelasse, impunha-me continuar na diplomacia.» Absolvido

Em 1947, um tribunal de desnazificação alemão sentenciou Papen em 8 anos num campo de trabalho; ele foi absolvido depois de recurso quando já tinham decorridos dois anos. Morreu a 2 de Maio de 1969.
Arthur Seyss-Inquart
Arthur Seyss-Inquart

Ministro do Interior e Chanceler de Austria
2, 3, 4
«Hitler, Himmler, Bormann e Heydrich são os verdadeiros culpados dos crimes de que me acusam.» Sentenciado à Forca

Enforcado a 16 de Outubro de 1946.
Hans Fritzsche
Hans Fritzsche

Chefe da divisão de rádio do Ministério da Propaganda
-
«Nunca me filiei no partido em virtude de discordar do seu programa e dos princípios expostos no Mein Kampf. Sempre contestei os métodos brutais do partido.» Absolvido

Morreu a 27 de Setembro de 1953.
Hjalmar Schacht
Hjalmar Schacht

Minister of the Economics
-
«Só sabia o que todos os alemães sabiam.» Absolvido

Morreu a 3 de Junho de 1970.

As sentenças à morte foram realizadas por enforcamento. Os juízes franceses sugeriram o uso do fuzilamento para os condenados militares, visto tratar-se de um procedimento normal para tribunais de guerra militares, mas tal foi oposto por Biddle e pelos juízes soviéticos. Estes argumentaram que os oficiais militares tinham violado a ética militar e não mereciam serem fuzilados, o que seria mais dignificante.
Foi reportado que Streicher tenha gritado Heil Hitler! na forca.
Os prisioneiros foram incarcerados na Prisão de Spandau.


Fonte:
Diário de Notícias - A guerra 50 anos depois, About.com, Wikipedia


 » Classif.: 
 »  2,77 (35 votos)

Comentários
Código da Validação:




Código da ValidaçãoRefrescar Código

» Regras de Utilização
[Fechar]
TextoMultimédia da Segunda Guerra MundialLoja
Anterior 1/3 Próxima
Opções
Tamanho da letra » A+ / a- Imprimir » Imprimir
Comentar » Comentar Ver Comentários » Ver Comentários
Newsletter
Loja
  Amazon.com

  ebay.com

Estatísticas

Números do Site:
#Artigos: 187
#Multimédia: 772
#Cronologia: 538
Comentários